Postado em dezembro 28, 2010 às 1:30 am

Meu ambiente de trabalho em 7 itens

Olá a todos. A idéia desse post foi algo que surgiu como um meme na galera do #SouDev, e cada um que faz sugere a amigos desenvolvedores que façam o mesmo. Eu recebi o contato do meu amigo Goncin, achei a iniciativa bem interessante e decidi dar continuidade. A intenção é mostrar o seu ambiente de trabalho, focando em 7 itens imprescindíveis para ele. Sem mais delongas, vamos lá!

1 – Windows 7

Como vocês sabem, apesar de eu amar programação e conhecer mais de uma plataforma, profissionalmente atuo com .NET. Infelizmente, o Mono não está(e sinceramente, nunca vai estar. Sad but true.) próximo de implementar 100% o .NET framework, e  a IDE Mono Develop não possui nem 0,5% das facilidades do Visual  Studio. Então, apesar de eu preferir o linux como sistema operacional(tanto que em casa eu tenho o windows 7 em uma VM e o SO oficial do meu notebook é o Kubuntu 10.10), acabo sendo obrigado a usar o windows no trabalho, e deixando o Linux apenas como SO para uso doméstico e programação em outras linguagens(ruby, php, java, etc).

download1

Meu desktop e... OH, WAIT! Esse não é o Windows! :)

2 – Visual Studio 2010

Gosto de algumas IDEs como o NetBeans e o Aptana RadRails, e as utilizo nos projetos pessoais que não são em .NET, mas preciso dizer: Em termos de facilidade de desenvolvimento e ferramentas disponíveis para o desenvolvedor, o Visual Studio está anos-luz  à frente de qualquer concorrente. O sistema drag-and-drop facilita muito e não gera(mais) tanto lixo no código ao contrário de outras IDEs(como o NetBeans, por exemplo) , o intellisense(a.k.a autocomplete) é fantástico e sem “loading”(como eu já vi ocorrer várias vezes no Eclipse), além do suporte a JQuery integrado na última versão. Utilizo o Visual Studio desde a versão 2003, e posso afirmar que à partir da versão 2005, ele deslanchou de tal forma que ninguém mais conseguirá alcançá-lo a curto ou médio prazo.

Tela inicial do Visual Studio 2010

Tela do Visual Studio 2010

3 – SQL Server Management Studio

Utilizo o Microsoft SQL Server há 3 ou 4 séculos, desde a versão 7. Embora eu seja um grande entusiasta do NoSQL(inclusive, já escrevi um artigo aqui mesmo sobre como utilizar C# com MongoDB), a maior parte das empresas ainda utiliza bancos de dados relacionais, e no caso das empresas que trabalham com .NET, a maioria opta por trabalhar com SQL Server. O Management Studio é uma ferramenta gratuita da Microsoft(disponível também com o SQL Server Express), para administração de bases de dados. Permite a criação de modelos entidade-relacionamento físicos, tabelas e a execução de scripts em Transact SQL, além de toda a gestão de permissionamento, criação de jobs e pacotes simples do integration services, para a importação e exportação de dados. É um software um tanto quanto pesado, mas muito completo. Para meus projetos pessoais, opto sempre pelo MySQL, que conheci há 4 anos atrás e desde então tem sido uma grande paixão até os malditos da Oracle comprarem a Sun e arrancarem o InnoDB.

Tela do SQL Server Management Studio.

Tela do SQL Server Management Studio.

4 – Firefox e Firebug

Apesar de achar o chrome mais leve e rápido para a navegação, quando se trata de desenvolvimento web estou para ver complemento melhor que o firebug. É fácil de utilizar e aumenta a produtividade. Sinceramente, acho que ele poderia até vir como padrão no Windows, ao invés do internet exploDer, aquilo que a Microsoft ousa chamar de browser.

5 – MSDN

A Microsoft Development Network é de grande auxílio para desenvolvedores .NET, não importa a linguagem. Lá encontramos não só a documentação completa do .NET framework, mas também blogs com conteúdo atualizadíssimo, como o blog do Scott Guthrie, VP de desenvolvimento da Microsoft. Também temos ainda os fóruns(recomendo os gringos, os fóruns nacionais deixam muito a desejar, tanto da MSDN quanto da TechNet) cursos completos, artigos extremamente descritivos e vídeo aulas  sobre as tecnologias Microsoft mais recentes como Silverlight, Entity Framework e ASP.NET MVC. Para quem é desenvolvedor .NET, impossível deixar esse conteúdo de lado.

6 – Google

Google is your friend, and it will always be. Seja buscando esclarecer dúvidas sobre programação, ou procurando a resposta para a vida, o universo e tudo mais, ele  sempre nos ajuda nos momentos em que precisamos adquirir um conhecimento novo, procurar melhores formas de fazer algo ou simplesmente procurar como satisfazer os caprichos do chefe viciado em XGH, ele sempre tem as repostas, por mais que às vezes tenhamos que procurar um tanto quanto a fundo. Nem sempre na primeira página a resposta está, jovem padawan.

7 – Música

Sim, música. Eu não trabalho sem fones de ouvido. Gosto de vários gêneros de música, especialmente Rock(de pink floyd a sepultura – passo MUITO longe de Beatles) e MPB. Para programar, prefiro meu gênero preferido: Heavy Metal. O som acelerado faz meus pensamentos fluírem melhor. Meu HD externo tem 500GB de espaço, dos quais 35GB estão ocupados com uma cópia da minha coleção de músicas em MP3, para ouvir no trabalho. Eu respiro música e tenho a mania insuportavelmente chata, segundo alguns de ter uma música para cada momento da vida. Além disso, tenho sérios problemas de concentração, então me isolar do mundo com fones in ear acaba ajudando a me focar no trabalho.

Um abraço pra quem gosta de Go Horse

Um abraço pra quem gosta de Go Horse

The show must go on

E conforme a tradição, devo passar a bola agora a  amigos desenvolvedores de software. Escolhi o Vagner Zampieri, o Igor Musardo, o Lucas Catón, o Rafael Nexus e o Wilian Jañez para compartilharem conosco o ambiente de trabalho deles. Show us your tricks, guys!

Abraços e keep coding! :)

7 Respostas para “Meu ambiente de trabalho em 7 itens”

  1. Meu ambiente de trabalho em 7 itens « goncin@wordpress.com:~$ _ em dezembro 28th, 2010 at 07:31 says:

    [...] passo a bola para o Francisco Prado (@fr_prado), o Henrique Lobo Weissmann (@loboweissmann), o Bruno Bemfica (@CodeAddicted) e o Fábio Vedovelli (@vedovelli). Compartilhem sua forma de trabalho, [...]

  2. goncin em dezembro 28th, 2010 at 07:37 says:

    Grande Bruno!

    O sentimento que você nutre pelo Visual Studio é semelhante ao que eu (ainda) tenho pelo Delphi. Pena que este último trocou tanto de mãos e acabou se perdendo pelo caminho, ficando ultrapassado. A facilidade de trabalhar de um ambiente integrado desenvolvido especificamente para uma linguagem ou uma plataforma é realmente incomparável. IDEs genéricos são apenas esforçados.

    Um abraço,

  3. Vagner Zampieri em dezembro 28th, 2010 at 09:36 says:

    Gostei da ideia vou fazer um post em breve a respeito, é muito interessante compartilhar com os outros devels seu ambiente de trabalho,

  4. Welington Veiga em dezembro 29th, 2010 at 09:51 says:

    Compartilho do seu sentimento em relação ao Mono e à necessidade de usar o Windows pra trabalhar.
    Felizmente atualmente eu trabalho só com Linux, estou programando em PHP!

    Mas quando quero fazer uma graça em .NET não tem jeito…

  5. Luiz Felippe L Gonçalves em março 11th, 2011 at 11:49 says:

    Parabéns pelo Post… bem engraçado e de fato: O VS está muito além dos IDEs genéricos; Na verdade a Microsoft está apostando em integração em todas suite de desenvolvimento VS + SQL Management Studio + Expression Studio 4… E Obs: Tu sabes que eu compartilho do mesmo “desvio de foco”..rs :P Agora por Ex. Ouvindo Holy Smoke! Abs []s

  6. Júnior em maio 13th, 2011 at 17:34 says:

    Muito bom, me identifico com vc!

  7. Mauro Couto em junho 29th, 2011 at 01:22 says:

    Confesso que ainda não havia usado o VS com esse layout, e pqp Curti bagarai!! Foda!

Deixar um comentário

Spam protection by WP Captcha-Free